sábado, 3 de outubro de 2015

PROJETO DESPERTANDO LEITORES NO CEI E NA FAMÍLIA

  E A HISTÓRIA CONTINUA...


CEI MARÍLIA DE DIRCEU – DRE-G


O Projeto justifica-se considerando a concepção de uma educação que se dá no coletivo e onde se envolvem os vários atores do espaço escolar nas dinâmicas geradoras de aprendizagens tendo o professor como responsável pela investigação e observação destas mesmas aprendizagens, onde as crianças são as protagonistas, com direito à voz e à participação nas escolhas. Identifica-se também a carência de opções culturais e de lazer da comunidade no qual o CEI está inserido. 

Desenvolvimento: O Projeto considera as várias ações formativas que contemplaram o grupo docente e demais segmentos do CEI, ações estas desenvolvidas durante o ano de 2013 e promovidas por meio da premiação deste próprio projeto, obtida no concurso nacional “Escola de Leitores” / Instituto C&A 2010, conforme demonstrado abaixo:
·                    Encontros formativos em SME contando com especialistas em leitura, linguistas e pesquisadores,
·                    Encontros formativos realizados tanto na Diretoria Regional de Guaianases como no CEI, contando com a presença da equipe técnica DOT-P, e da equipe técnica “A cor da letra”, além das trocas de experiências realizadas com os professores da Rede responsáveis pelas salas de leitura,
·                    Divulgação do presente projeto na Bienal do Livro 2012, realizado no stand da SME e com acompanhamento da Sra. Fátima Bonifácio/SME,
·                    Participação de uma professora do CEI, representando os participantes do projeto na FNLIJ – Feira Nacional do Livro Infantil e Juvenil 2012 e com acompanhamento do Instituto C&A no Rio de Janeiro/RJ,
·                    Participação de duas professoras do CEI, no Intercâmbio Literário e Cultural promovido na Colômbia pelo Instituto C&A,
                     Sexta-Feira Literária: a comunidade é convidada a estar na escola uma vez por mês, ler e conhecer o acervo literário e ouvir a leitura de uma história realizada por um professor.
                     Biblioteca Circulante: semanalmente os alunos levam para casa um livro do acervo da sala para ser lido com a família.
Os livros são bem de consumo caros, muitas vezes inacessíveis à população que atendemos, ao democratizar o acesso e incentivar a leitura desde a primeira infância, buscamos dar às nossas crianças e suas famílias o direito e a oportunidade de se tornarem autores das suas próprias histórias. Visando apontar caminhos para uma prática docente pautada em ações de ensino significativas, os objetivos deste projeto são:
·                    Aproximar práticas de leitura e escrita à vida social da comunidade escolar, promovendo o gosto e o hábito da leitura;
·                    Dividir e mostrar a importância da responsabilidade dos pais em busca da formação de novos leitores, oferecendo o acervo literário da unidade como empréstimo e estímulo;
·                    Promover os laços afetivos familiares, favorecendo um desenvolvimento emocional harmonioso aos pequenos leitores.

Conclusão:


A frase de uma das mães no final da Sexta Literária cujo tema era “Vidas que contam histórias” - evento esse onde os familiares eram os protagonistas, ficará para sempre guardada em nossa memória: “Eu nem sei escrever direito, o pouco que estudei foi para ouvir a vida inteira que eu era uma burra. Agora eu tenho um livro que eu ajudei a publicar e abraçada ao livro completou sua fala – “A história da minha vida está aqui”.
Quando lemos para os nossos alunos, sabemos que não lhes transmitimos apenas o conteúdo da história; promovemos seu encontro com a leitura, possibilitando-lhes adquirir um modelo de leitor e desenvolvendo diversas formas de linguagem, enriquecendo assim suas experiências infantis, despertando o prazer de ler e o sentido de valor pelo livro. Somos cientes das dificuldades existentes e vindouras nesta luta em busca de envolver a comunidade e os nossos meninos e meninas no ato de ler e de compreender.
Acreditamos que a leitura deve ser um processo que envolva a compreensão critica do ato de ler, não a deixando esgotar-se na decodificação pura da palavra escrita. Encerramos o ano de 2014 com o XXXII Evento Literário, onde mais uma vez a nossa comunidade se fez presente. Assim como defende Paulo Freire, o ato de ler não para por aí, a leitura de mundo, sobretudo, precede da leitura da palavra.
No final do filme A Lista de Schindler, Oskar Schindler, um empresário alemão que salvou a vida de mais de mil judeus durante o Holocausto, chora desapontado quando olha o seu broche de ouro e diz: nossa eu poderia ter salvado mais mil e o rabino responde: acalme seu coração amigo quem salva um, salva um milhão.
Remetendo essa frase para o nosso dia-a-dia acreditamos que o projeto: Despertando leitores no CEI e na família se multiplicará, abrindo um leque de leitores na nossa comunidade, no nosso bairro, no nosso Estado, no nosso país. Ter a família como parceira nessa caminhada faz com que continuemos a acreditar que vale a pena sim, acreditar que tudo é possível.


 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.
C&A, Instituto. Nos caminhos da literatura. São Paulo: Peirópolis, 2008.
C&A, Instituto. Prazer em Ler – Volume 2. São Paulo: Cenpeq, 2007.
MACHADO, Regina S. B. Acordais: fundamentos teóricos-poéticos da arte de contar histórias. São Paulo: Difusão Cultural, 2004.
SÃO PAULO (SP). Portaria nº 899, de 24 de janeiro de 2014 – Dispõe sobre a organização das salas de leitura, espaços de leitura e núcleos de leitura.
SÂO PAULO (SP). Decreto 54.452/13 – regulamentado pela Portaria 5930/13- Programa de Reorganização Curricular e Administrativo, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino de São Paulo – Mais Educação São Paulo.
SÃO PAULO (SP). Orientação Normativa SME 01/2013 – Avaliação na Educação Infantil: aprimorando os olhares.
SILVA, Maria B. C. Contar histórias – Uma arte sem idade. São Paulo: Ática, 1999.
Artigos e textos de revistas e jornais, vídeos e documentários que possam enriquecer a discussão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário