sexta-feira, 6 de maio de 2016

Abordagem Pikler

Locky, um lugar para crescer
 

Bernard Martino

Histórico

Emmi Pikler (1902-1984): estudou medicina em Viena e trabalhou como médica pediatra da família em Budapeste/Hungria.
Década de 1920: buscava a cooperação, a colaboração e a confiança da criança antes dos cuidados médicos.
Década de 40: escreveu para os pais, incluindo 60 fotografias e orientações sobre como observar e acompanhar as crianças
1946: assumiu a direção do orfanato situado na Rua Lóczy Lajos que colhia crianças de zero até os 7 anos.
1968:  as pesquisadoras francesas Myriam David e Geneviève Appell visitam o Instituto Nacional de Metodologia dos Centros de acolhida de crianças de 0 a 3 anos.
Em 1984 criam em Paris a Associação Pikler Loczy na França, onde funciona até hoje.



Visão de criança (Pikler)

 Viva, ativa, colaboradora, autoconfiante, forte na vontade



HIPÓTESES E CONVICÇÃO DE PIKLER

O bebê se desenvolve sem intervenção direta do adulto no campo da motricidade e do jogo;
Se o bebê tiver  relações emocionais estáveis poderá aproveitar de um  entorno (ambiente) apropriado;
Ele terá uma atividade autônoma que propiciará um  ótimo desenvolvimento.

FUNÇÕES PRINCIPAIS

A metodologia do trabalho realizado no Instituto se apoia  em três funções principais:


  • Acolhimento e cuidados ao bebê;
  • Pesquisa sobre o processo de desenvolvimento do bebê concatenado com a função institucional;
  • Formação e supervisão permanente dos atendentes.


PRINCÍPIOS


  • Atividade autônoma;
  • Relação afetiva privilegiada num contexto institucional;
  • Consciência de si mesmo e de seu entorno;
  • Saúde física, base para o desenvolvimento dos princípios anteriores, mas que é também seu resultado.

INSPIRAÇÕES


  • Baseia-se na observação dos bebês e crianças em situações naturais do cotidiano.
 Aproximação com as pedagogias: Montessori, Steiner, Freinet, diálogo com  Wallon, Dewey, Winnicott, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário