sexta-feira, 6 de maio de 2016

Reflexões sobre o exercício da docência com os bebês - 1º ENCONTRO

Fernando Pessoa disse que a medida do relógio é falsa. E é, realmente falsa com respeito ao relógio das crianças, das experiências infantis, das experiências subjetivas e das situações de aprendizagem e ensino.
Respeitar os tempos de maturação, de desenvolvimento, das formas de fazer e entender, da plena, lenta, extravagante, lúcida e mutável emergência das capacidades infantis, é uma medida de sabedoria biológica  cultural.
Se a natureza predispôs que a duração da infância seja mais longa (infinita dizia Tolstoi) é porque sabe quantos obstáculos tem que atravessar, quantos caminhos deve percorrer, quantos erros podem ser corrigidos, tanto pelas crianças quanto pelos adultos e quantos desafios são necessários superar. (...)



Loris Malaguzzi

Se hoje, estamos em uma época na qual o tempo e os ritmos das máquinas e seus benefícios são modelos que se contrapõem aos tempos humanos, então se faz necessário saber a serviço de quem estão a psicologia, a pedagogia e a cultura.”  (Loris Malaguzzi, in: Ritmos infantiles – tejidos de un paisage interior – tradução livre)



“É somente com um cuidado empático aquele onde o eu e o tu se entrelaçam, que se cumpre realmente o trabalho educativo com bebês e as crianças bem pequenas nos Centros de Educação Infantil.” (Pikler)

OBJETIVOS
·      Refletir sobre as práticas cotidianas de cuidados e educação nos CEIs e CEMEIS, a partir do diálogo com a Abordagem de Emmi Pikler, os princípios da pedagogia da escuta e das relações que caracterizam a Experiência de Reggio Emilia e a formação desenvolvida a  partir dos contextos educativos;
·      Valorizar o papel do adulto na organização de ambientes, tempos, materiais e na qualidade das relações e interações que estabelece com bebês e crianças;
·      Reconhecer a importância das relações estáveis e do vínculo afetivo entre bebês, as crianças bem pequenas e os adultos;
·      Considerar os movimentos livres como fundamento de uma verdadeira autonomia;
·      Discutir a importância da observação, da escuta e o significado da documentação para a prática docente.

1º momento:

  • Apresentação das (os) participantes.
   


  • Apresentação da proposta e dos objetivos do curso.




2º Momento:Discussão sobre a especificidade da docência (educação e cuidado) com bebês e crianças pequenas: bases legais, teóricas e conceituais. 





Indicação de Leituras:

BOLIVAR, A. O esforço reflexivo de fazer da vida uma história.  Revista Pátio, ano X Nov.2006/jan2007.

FALK, Judit (org.). Educar os três primeiros anos: a experiência de Loczy. São Paulo: J.M. Editora. 2004.

FREITAS, A. V. C. PELIZON, M. H. As contribuições da experiência de Loczy para a formação do professor de Educação Infantil. In: ANDREETTO, V.G. e PAOLILLO, V.M.(orgs.) Estudos e reflexões de Loczy. OMEP/BR/SP-Santo André, 2011.

SÃO PAULO Educação Infantil. Indicadores de Qualidade da Educação Infantil Paulistana. São Paulo: SME/DOT -EI,  2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário